Regime de Substituição Tributária Progressiva

O STF decidiu em 2016 que é devida a restituição de valores pagos a mais pelo contribuinte em regime de substituição tributária progressiva do ICMS.

 

A decisão foi tomada pela maioria dos ministros (7 votos 3), que acompanhou o voto do relator, ministro Edson Fachin, a aprovou a seguinte tese:

 

No regime de substituição tributária progressiva, como no caso de combustíveis, o tributo é recolhido no início da cadeia produtiva por um preço pré-fixado e presumido pelo fisco, antecipando-se ao momento da venda, realizado no fim da cadeia, pela rede varejista. O objetivo do sistema é simplificar os procedimentos de arrecadação e a fiscalização. A previsão consta do parágrafo 7º do artigo 150 da CF. O texto prevê a restituição caso não se realize o fato gerador presumido.

 

Assista à aula completa, com os comentários sobre esta decisão. Esta é, provavelmente, a mais esperada decisão em matéria tributária desta década e sem dúvida seus diversos aspectos serão intensivamente cobrados nas futuras provas de concurso público.

 

Faça parte do nosso Canal do Telegram!

Receba (antes de todo mundo) dicas, novidades, materiais gratuitos, podcasts, eventos e aulas especiais, ofertas exclusivas e conteúdo de qualidade sobre concursos públicos na área fiscal, controle e gestão.

blank

Holler Box