Concursos

Apresentação do Prof. Arquimedes Júnior

 

Olá, concurseiros de todo o Brasil. É com enorme satisfação que dedico esse tempinho para escrever minha apresentação pessoal para vocês. Meu nome é Arquimedes Júnior, tenho 29 anos (quase “trintando”) e sou Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil desde novembro de 2014.

Primeiramente gostaria de dizer que sinto-me muito honrado de passar a fazer parte desse grande time que é a equipe do Professor Ricardo Alexandre.

Estarei com vocês nas disciplinas de Legislação Aduaneira e Comércio Internacional (cursos em PDF) e também realizando o trabalho de Mentoria em parceria com a super Coach Diana Sette que vocês já conhecem. Agora vou contar um pouquinho da minha história nesse mundo dos concursos.

Quando tomei posse no cargo de Auditor, eu era Analista da Receita desde maio de 2013. Fui aprovado no concurso de Analista em 2012. Já são quase 5 anos de Receita Federal. Atualmente eu estou lotado na Inspetoria de Pacaraima-RR, fronteira com a Venezuela.

Estou de férias aguardando sair minha portaria para trabalhar no Escritório da Corregedoria da 2ª Região Fiscal (Norte), com sede na cidade de Belém-PA. Minha primeira lotação de Auditor foi na Delegacia de Macapá-AP onde fui chefe da SACAT (Seção de Controle e Acompanhamento Tributário) até ser removido para Pacaraima-RR.

No cargo de Analista, trabalhei na Delegacia de Foz do Iguaçu-PR e na extinta Agência de Afogados da Ingazeira no Sertão do Pajeú do meu Pernambuco.

Antes de ser aprovado nos concursos da Receita Federal, eu era funcionário do Banco do Brasil, onde trabalhei durante 3 anos e 7 meses na cidade de Ipojuca-PE, município onde se localiza a famosa praia de Porto de Galinhas. Também estou cursando o 5º semestre da faculdade de Direito.

Comecei no mundo dos concursos em 2008 quando fiz a prova do concurso da Caixa Econômica Federal. Fui aprovado mas nunca fui convocado. No ano seguinte fui aprovado e convocado para o Banco do Brasil, não tendo conseguido aprovação no concurso de ATA daquele mesmo ano.

Em 2010 fiz o concurso do TRE-PE, que posteriormente foi anulado, mas eu não passaria se não tivesse sido anulado. kkkkk Dei uma parada nos concursos para me dedicar ao BB, pois cogitei a seguir carreira na instituição.

 

Depois dessa parada, tudo mudou…

Em 2012, quando eu retornei das férias, uma colega de trabalho me informou: “olha, saiu o concurso que você sempre disse que queria fazer: Receita Federal”. Fui olhar os editais e então vi que as provas de Auditor e Analista seriam no mesmo dia. Tendo em vista que estava um pouco “enferrujado”, optei pelo cargo de Analista pois tinha um conteúdo programático menor e o tempo era curto. Falei com o Gerente-Geral da minha agência e pedi para sair de férias novamente no mês seguinte quando adquiriria novamente esse direito. Expliquei a situação e ele permitiu.

Dei todo o gás possível, mas bem sem esperanças e para a minha surpresa, quando fui conferir o gabarito, vi que estava com um bom número de acertos e que tinha alguma chance de ir para a segunda etapa. Mais uma vez apelei para o meu GG e pedi para trabalhar 2 horas a menos por dia para compensar depois da prova. E novamente ele permitiu e passei a trabalhar 6 horas por dia. No final das contas, deu certo, consegui minha aprovação, chorei igual uma criança quando saiu o resultado, quase mato meu pai do coração ao ligar às 6h da “madrugada” chorando para dizer que tinha sido aprovado. (Isso mesmo. Na semana prevista para sair o resultado, eu acordava super cedo para ver o Diário Oficial).

Sabe aquela sensação indescritível de ter conseguido o que parecia impossível para mim? Demorei a acreditar que tinha sido aprovado para um concurso da Receita Federal. Depois foi só esperar ANSIOSAMENTE a hora de arrumar as malas e ir só Deus sabe para onde. Fui para Foz do Iguaçu-PR, uma cidade fantástica que tenho saudades até hoje.

Em Foz dei uma parada nos estudos, aquela relaxada para conhecer a cidade e descansar. Posteriormente, ao saber da notícia que teria um concurso para a Assembleia Legislativa de Pernambuco, retomei os estudos. Era a chance de voltar para casa. Enquanto eu estudava, aconteceu o que quase ninguém esperava: autorização para o concurso de Auditor! PQP (perdão pela expressão, mas foi só isso que pensei). Poucos dias depois já saiu o edital. PQP de novo!!!

A ESAF não ouviu falar que tem até 6 meses para publicar o edital??? A partir daí, foi “tranquilo”: deixei de viver novamente e “simbora” estudar. Mas essa “pressa” para publicar o edital tinha um motivo: era ano de eleição e a Receita tinha interesse em nomear os aprovados no mesmo ano. Diminuiu o edital, provas discursivas no mesmo final de semana das objetivas e seja o que Deus quiser. Passei a ter uma rotina absurdamente frenética até o dia da prova. Dormia todos os dias às 6h, trabalhava de 13h-19h (Mais uma vez apelei ao chefe. Chefe novo, pedido velho kkkkkk) e todo o tempo restante era para algum mínimo descanso e estudar até de manhã. E assim foi até o dia da prova.

Como estava morando em Foz do Iguaçu-PR, optei por fazer as provas em Curitiba-PR. Ainda em Curitiba, no dia de voltar para Foz após as provas, o gabarito foi divulgado. Ao conferir, veio aquela sensação de tristeza e frustração. No geral, tinha ido bem, mas não alcancei o mínimo em 2 disciplinas: Raciocínio Lógico e Legislação Tributária. Faltou 1 questão em cada. Bateu o desânimo, voltei para Foz, curti o “luto” naquele dia e bola pra frente.

No dia seguinte, surgiram algumas esperanças de anulação. Muitos professores questionando os gabaritos. Fiz alguns recursos e só restava aguardar. Nesse período da prova, eu já estava removido para Pernambuco aguardando apenas o dia de ir embora. Orientado por amigos de Foz, peguei as certidões necessárias para o caso de conseguir anulação das questões. E deu certo. As questões foram anuladas (até mais do que eu precisava), tive uma ótima nota na redação e consegui mais essa aprovação. Agora era arrumar as malas e esperar mais uma mudança (Êta vida cigana…).

O pessoal lá em casa nem acreditou quando eu falei porque eu já tinha dito não tinha passado e não teria mais chances. Foi uma baita surpresa. kkkkkk

Minha formação e a Receita Federal

Uma informação sobre minha formação que não falei anteriormente: sou formado em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Isso mesmo. Sabe o que isso quer dizer? Se eu consegui superar minhas limitações e aprender as disciplinas dos concursos da Receita Federal, você também pode. Não usem a formação acadêmica de vocês como algo impeditivo. Usem para se estimularem! Superar as dificuldades como eu e muitos outros colegas fizeram. Vocês não precisam ser formados em Direito, Ciências Contábeis ou Engenharia para serem aprovados!

Saibam que vou fazer todo o possível para vocês terem o melhor aproveitamento possível na nossa disciplina. Darei meu máximo. Espero que vocês deem o máximo também. Nenhuma vitória vem sem esforço. Gosto muito de uma frase que desconheço o autor, mas tem tudo a ver com a vida de um concurseiro: “Aquele que não luta pelo futuro que quer, deve aceitar o futuro que vier”. Lutem, corram atrás que a vitória virá. Um grande abraço a todos e contem comigo para essa caminhada! Vamos em frente!

Para finalizar, deixo aqui os links para meus cursos de Legislação Aduaneira e Comércio Internacional:

Legislação Aduaneira para Auditor da Receita Federal

Comércio Internacional para Auditor da Receita Federal

Professor Arquimedes Júnior

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×